a
Todos os direitos reservados 2022
Cardoso & Advogados Associados
.
CNPJ 24.723.912/0001-50

9:00 - 18:00

Abrimos de Segunda - Sexta.

(21) 3189-6625

Aguardamos pelo seu contato

Search
Menu

Após faltar à audiência, Guedes é convocado por comissão da Câmara

Cardoso Advogados Associados > Covid  > Após faltar à audiência, Guedes é convocado por comissão da Câmara

Após faltar à audiência, Guedes é convocado por comissão da Câmara

A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira a convocação do ministro da Economia, Paulo Guedes, para que preste esclarecimentos a respeito de supostas distorções em dados da Previdência.

Guedes, que havia sido convidado a participar de audiência conjunta das comissões de Fiscalização Financeira e Controle e de Defesa do Consumidor nesta quarta-feira, não compareceu ao compromisso. O convite, então, foi transformado em convocação, o que torna o seu comparecimento obrigatório.

  • As dívidas tiram o seu sono e você não sabe por onde começar a se organizar? A EXAME Academy mostra o caminho

À Reuters, o presidente da comissão, deputado Áureo Ribeiro (Solidariedade-RJ), afirmou que o governo já ofereceu a data de 30 de junho para que Guedes compareça à audiência. O ministro tem até 30 dias, em termos regimentais, para participar.

“Como o ministro não compareceu hoje, quando estava marcada a data, a comissão votou, sem nenhum voto contrário, a convocação do ministro Paulo Guedes para participar na forma de convocado na comissão”, disse o parlamentar.

De acordo com a Agência Câmara, a justificativa para a convocação citou reportagem do portal G1 que apontou que técnicos do TCU teriam identificado distorções em valores a serem desembolsados no futuro para custear a previdência de servidores e benefícios de militares inativos.

A ida inicial de Guedes à comissão estava prevista para o dia 4 de maio, data em que o ministro participou de audiência pública de um conjunto de comissões da Câmara dos Deputados. Sua participação então foi reagendada pela comissão para esta quarta-feira.

Procurado pela Reuters, o Ministério da Economia não comentou a convocação.