a
Todos os direitos reservados 2022
Cardoso & Advogados Associados
.
CNPJ 24.723.912/0001-50

9:00 - 18:00

Abrimos de Segunda - Sexta.

(21) 3189-6625

Aguardamos pelo seu contato

Search
Menu

Biden culpa os que não se vacinaram por alta de casos nos EUA

Cardoso Advogados Associados > Covid  > Biden culpa os que não se vacinaram por alta de casos nos EUA

Biden culpa os que não se vacinaram por alta de casos nos EUA

A expectativa nesta sexta-feira, 6, era que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, usasse um pronunciamento na Casa Branca para comemorar os bons dados de criação de empregos no país divulgados nesta semana.

No entanto, a fala do mandatário americano foi menos otimista, e culpou o número de não vacinados nos EUA pela alta recente de casos de coronavírus. No país, sobram doses, mas muitos ainda não querem se vacinar.

  • Invista nas maiores empresas do mundo sem sair de casa. Abra sua conta no BTG

“Minha mensagem hoje não é de celebração”, disse Biden.

“É para nos lembrar que temos ainda muito trabalho a ser feito, tanto para derrotar a variante delta quanto para continuar avançando em nossa recuperação econômica.”

  • Nos EUA, 58% da população tomou ao menos uma dose da vacina contra a covid-19;
  • E 50% foi totalmente vacinada;
  • Se contabilizados somente adultos, são 61% totalmente vacinados.
  • Mais de 60 milhões de adultos elegíveis ainda não se vacinaram nos EUA.

Na manhã desta sexta-feira, o relatório oficial de empregos não agrícolas, o payroll, revelou a criação de 943.000 postos de trabalho em julho, superando as estimativas de mercado que giravam em torno de 845.000 e 870.000. 

Já a taxa de desemprego americana caiu de 5,9% para 5,4%, a mínima desde o início da pandemia (o esperado era 5,7%). 

O resultado ajudou as principais bolsas americanas e o Ibovespa brasileiro a fecharem em alta no pregão de hoje.

Falta de vacinas pode prejudicar a economia

Apesar do bom resultado no mercado de trabalho, Biden voltou a se referir à covid-19 como a “pandemia dos não vacinados” e mostrou preocupação com o impacto dos novos casos de covid-19 na recuperação da economia.

Os dados de emprego foram calculados até meados de julho, e desde então, as expectativas sobre a reabertura da economia degringolaram com o aumento de casos. Uma série de empresas já anunciou adiamento dos planos de retorno ao escritório e o número de hospitalizações subiu.

Desde o começo de julho, a média móvel em sete dias de novos casos diários no país saltou da casa dos 13.000 para mais de 90.000 confirmados.

Pelo menos 80% dos novos casos de covid-19 analisados nos EUA já são da variante delta.

O número de novas mortes, felizmente, não subiu na mesma proporção, seguindo abaixo de 400 vítimas diárias, o que especialistas apontam ser provavelmente um efeito da vacinação.

Mas a situação preocupa sobretudo em regiões com menor número de vacinados, como em estados do sul e do interior do país, mais conservadores.

Biden tem entrado em embate com governos de estados onde a vacinação está baixa. Governadores como Ron DeSantis, na Flórida (estado onde Biden perdeu em 2020) relutam em voltar a exigir dos cidadãos medidas como uso de máscara.

Nesta semana, em discurso duro, Biden chegou a dizer que governadores deveriam ajudar a combater a pandemia “ou sair do caminho.”

Novos estudos têm mostrado que as vacinas contra a covid-19, embora evitem a maioria dos casos graves da doença, não impedem que um infectado com a variante delta transmita o vírus para outra pessoa.

Com este cenário, ficou mais difícil conter a pandemia se mais pessoas não se vacinarem.

O governo Biden cogita oferecer um estímulo de 100 dólares por pessoa a se vacinar, como estados e cidades já têm feito.

Mais de 9 em cada 10 casos de hospitalização ou morte por covid-19 nos EUA ocorreram em pacientes que não foram completamente vacinados, segundo estudo da Kaiser Family Foundation.

Vá além do básico e fique por dentro das principais análises. Assine a EXAME. 

De 1 a 5, qual sua experiência de leitura na exame?
Sendo 1 a nota mais baixa e 5 a nota mais alta.
1
2
3
4
5

 

Seu feedback é muito importante para construir uma EXAME cada vez melhor.


Toda semana tem um novo episódio do podcast EXAME Política. Disponível abaixo ou nas plataformas de áudio Spotify, Deezer, Google Podcasts e Apple Podcasts