a
Todos os direitos reservados 2022
Cardoso & Advogados Associados
.
CNPJ 24.723.912/0001-50

9:00 - 18:00

Abrimos de Segunda - Sexta.

(21) 3189-6625

Aguardamos pelo seu contato

Search
Menu

Ministério da Saúde inclui pessoas com doenças crônicas neurológicas no grupo prioritário da vacina contra a Covid-19

Cardoso Advogados Associados > Covid  > Ministério da Saúde inclui pessoas com doenças crônicas neurológicas no grupo prioritário da vacina contra a Covid-19

Ministério da Saúde inclui pessoas com doenças crônicas neurológicas no grupo prioritário da vacina contra a Covid-19


Governo também publicou novas regras para vacinação de gestantes no plano nacional, as mesmas divulgadas no final de abril: apenas gestantes com comorbidades devem receber a primeira dose, especificamente da CoronaVac ou da Pfizer/BioNTech. Trabalhadora da saúde mostram frasco de vacina contra a Covid-19 em Manaus, no Amazonas
Divulgação
O Ministério da Saúde incluiu nesta quinta-feira (20) as pessoas com doenças crônicas neurológicas no público-alvo da vacina contra a Covid-19. Com a medida, o grupo prioritário passa a ter, no total, 78.470.700 pessoas incluídas (veja a lista no final da reportagem).
A partir de agora, estão também no público-alvo do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO):
pessoas com doenças cerebrovasculares (acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico, ataque isquêmico transitório e demência vascular);
com doenças neurológicas crônicas que impactem a função respiratória;
com doenças hereditárias e degenerativas do sistema nervoso ou muscular;
com deficiência neurológica grave, paralisia cerebral, esclerose múltipla ou condições similares.
A pasta não especificou, no PNO, os nomes de todas as doenças que foram incluídas nas prioridades. Segundo informações de outras páginas do próprio Ministério da Saúde, as seguintes doenças seriam exemplos das que se encaixam nas novas condições prioritárias do PNO:
Alzheimer: transtorno neurodegenerativo progressivo e fatal;
Atrofia muscular espinhal (AME): doença hereditária e degenerativa do sistema nervoso/muscular;
Esclerose lateral amiotrófica (ELA): doença que afeta o sistema nervoso de forma degenerativa e progressiva e acarreta em paralisia motora irreversível.
Vacinação de grávidas e puérperas
Ministério da Saúde decide suspender a vacinação contra Covid-19 de gestantes sem comorbidades
As novas recomendações para a vacinação de grávidas e puérperas também foram incluídas no documento – a mudança foi divulgada no final de abril, mas oficializada no PNO nesta quinta-feira.
O governo federal recomenda que sejam vacinadas apenas as gestantes com comorbidades – com a Coronavac/Butantan ou a vacina da Pfizer/BioNTech. A vacina da AstraZeneca/Oxford está suspensa para esse público.
As gestantes ou puérperas que já foram vacinadas com a primeira dose e não têm comorbidades deverão esperar o fim da gravidez ou, no segundo caso, os 45 dias após o parto para receber a segunda dose. As que receberam a primeira dose da vacina de Oxford/AstraZeneca deverão receber a segunda dose da mesma vacina.
Grávidas que tomaram vacina de Oxford/AstraZeneca precisam ter acompanhamento médico, dizem especialistas
O governo listou as seguintes orientações para a vacinação de gestantes e puérperas:
Documentos: gestante com comorbidade deverá comprovar a condição de risco (comorbidade), conforme recomendações do PNO (exames, receitas, relatório médico, prescrição médica etc. Adicionalmente, poderão ser utilizados os cadastros já existentes dentro das Unidades de Saúde).
Período da gestação: “A vacinação poderá ocorrer independentemente da idade gestacional e o teste de gravidez não deve ser um pré-requisito para a administração das vacinas nas mulheres”.
Aleitamento: No caso da puérpera, ao ser vacinada, na condição de lactante deverá ser orientada a não interromper o aleitamento materno.
Sem escolha de vacina: A vacinação poderá ser realizada com qualquer vacina de plataforma de vírus inativado, vetor viral ou mRNA, respeitando os intervalos entre as doses recomendados pelo PNI.
Intervalo entre vacinas: Deverá ser respeitado o intervalo de no mínimo 14 dias entre a administração da vacina Influenza e/ou outra vacina do calendário de vacinação da gestante/puérpera e a administração da vacina Covid-19.
Grupos prioritários para a vacinação
Pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas
Pessoas com Deficiência Institucionalizadas
Povos indígenas
Trabalhadores de Saúde
Pessoas de 90 anos ou mais
Pessoas de 85 a 89 anos
Pessoas de 80 a 84 anos
Pessoas de 75 a 79 anos
Povos e Comunidades tradicionais Ribeirinhas
Povos e Comunidades tradicionais Quilombolas
Pessoas de 70 a 74 anos
Pessoas de 65 a 69 anos
Pessoas de 60 a 64 anos
Pessoas com comorbidades e gestantes e puérperas com comorbidades
Pessoas com Deficiência Permanente
Pessoas em Situação de Rua (18 a 59 anos)
Funcionários do Sistema de Privação de Liberdade
População Privada de Liberdade
Trabalhadores da Educação do Ensino Básico (creche, pré-escolas, ensino fundamental, ensino médio, profissionalizantes e EJA)
Trabalhadores da Educação do Ensino Superior
Forças de Segurança e Salvamento
Forças Armadas
Trabalhadores de Transporte Coletivo Rodoviário de Passageiros
Trabalhadores de Transporte Metroviário e Ferroviário
Trabalhadores de Transporte Aéreo
Trabalhadores de Transporte de Aquaviário
Caminhoneiros
Trabalhadores Portuários
Trabalhadores Industriais
Trabalhadores da limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos

1xVelocidade de reprodução0.5xNormal1.2×1.5x2x

Veja VÍDEOS da vacinação no Brasil:

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.