a
Todos os direitos reservados 2022
Cardoso & Advogados Associados
.
CNPJ 24.723.912/0001-50

9:00 - 18:00

Abrimos de Segunda - Sexta.

(21) 3189-6625

Aguardamos pelo seu contato

Search
Menu

Os melhores e os piores investimentos de julho

Cardoso Advogados Associados > Covid  > Os melhores e os piores investimentos de julho

Os melhores e os piores investimentos de julho

Os fundos de renda fixa Duração Alta/ Grau de Investimento lideraram o ranking dos melhores investimentos em julho na renda fixa, com rentabilidade média de 0,83%, acima da referência da categoria, o CDI, que registrou variação de 0,35%.

  • Aproveite a alta do mercado. Aprenda a investir por conta própria em ações 

Fundos de renda fixa de duração alta buscam retornos investindo em ativos com duration média ponderada da carteira igual ou superior à apurada no mês. Estes fundos estão sujeitos a maior oscilação nos retornos promovida por alterações nas taxas de juros futuros.

Fundos do tipo Grau de Investimento investem no mínimo 80% da carteira em títulos públicos federais e ativos com baixo risco de crédito do mercado doméstico ou externo.

Já entre os melhores investimentos de renda variável que não englobam a compra direta de ações, os fundos de ações que investem no exterior ficaram no topo do ranking, com alta de 0,92% no mês, auxiliados pela alta do dólar de 4,76% no mês.

Os fundos de ações Investimento no Exterior aplicam em ativos financeiros lá fora em parcela superior ou igual a 40% do patrimônio líquido.

Veja abaixo o ranking da renda fixa e da renda variável:

Melhores investimentos em renda fixa: julho/2021

Investimento Desempenho em julho (em %) Desempenho em 12  meses (em %)
Fundos de renda fixa – duração alta – grau de investimento 0,83 13,15
Tesouro Selic 2025 0,46 1,78
Fundos de renda fixa – duração baixa – grau de investimento 0,35 2,64
Poupança 0,24 1,71
Tesouro IPCA+2024 -0,16 3,09
Tesouro prefixado 2023 -0,39 -1,40
Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2045 -1 2,37
Tesouro prefixado 2025 -1,10 -4,67
Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2035 -1,16 1,99
Tesouro IPCA+ com juros semestrais 2050 -1,21 1,17
Tesouro IPCA+ 2035 -1,90 0,86
Tesouro IPCA+ 2045 -4,04 -6,86

Referência

Índice Desempenho em julho (em %) Desempenho em 12 meses (em %)
CDI 0,35 2,42

*A rentabilidade dos fundos vai até o dia 27 de julho, dado mais atual disponível na Anbima.
*O desempenho mensal dos títulos e da poupança se refere aos últimos 30 dias até a data de fechamento, nos dias 30 e 28 de julho, respectivamente.

Melhores investimentos em renda variável: julho/2021

Investimento Desempenho em julho (em %) Desempenho em 12 meses (em %)
Fundo de ações investimento no exterior 0,92 27,21
Multimercado investimento no exterior 0,74 10,83
Multimercado livre -0,24 7,5
Fundos de ações livre -1,14 21,23
Fundo de ações índice ativo -1,88 19,99
Fundo de ações valor/crescimento -1,90 18,28

*A rentabilidade dos fundos vai até o dia 27 de julho, dado mais atual disponível na Anbima.

Referência

Índice Desempenho em julho (em %) Desempenho em 12 meses (em %)
Ibovespa -3,94 16,99

Piores investimentos em julho

O pior investimento na renda fixa no mês foi a aplicação no Tesouro IPCA+ 2045 

Os fundos de ações Valor/Crescimento foram as aplicações de renda variável que renderam menos no mês. Essas aplicações desvalorizaram 1,90% em julho, mês no qual o Ibovespa registrou queda de 3,94%, a maior desde fevereiro.

O que ponderar ao investir

Para todos os investimentos, a orientação é sempre lembrar que a rentabilidade passada não significa garantia de rendimento futuro. Também é importante mencionar que o ranking de investimentos considera a rentabilidade bruta das aplicações, sem descontar o imposto de renda (IR).

  • O mundo está mais complexo, mas dá para começar com o básico. Veja como, no Manual do Investidor

Nas aplicações em fundos de ações, há IR de 15%. Nos fundos de curto prazo, a alíquota é de 22,50% para resgates em até 180 dias e de 20% para resgates depois de 180 dias. Nas demais categorias de fundos (longo prazo), a tributação segue tabela regressiva, em que a alíquota varia entre 15% e 22,5%, conforme o prazo de vencimento.

Os títulos públicos também são tributados pela tabela regressiva de IR. A poupança não tem cobrança de IR.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso.