a
Todos os direitos reservados 2022
Cardoso & Advogados Associados
.
CNPJ 24.723.912/0001-50

9:00 - 18:00

Abrimos de Segunda - Sexta.

(21) 3189-6625

Aguardamos pelo seu contato

Search
Menu

5 lições sobre gestão que aprendi sendo um atleta paralímpico

Cardoso Advogados Associados > Covid  > 5 lições sobre gestão que aprendi sendo um atleta paralímpico

5 lições sobre gestão que aprendi sendo um atleta paralímpico

A mitologia grega nos conta que a primeira Olimpíada foi inaugurada por Hércules, filho de Zeus com uma mortal, que, desafiado pela deusa Hera, precisou cumprir doze trabalhos considerados impossíveis. O quinto desse imenso desafio era limpar os currais do Rei Augias, da cidade de Élis.

Segundo o mito, os espaços, ocupados por milhares de cavalos, não eram limpos há mais de três décadas. Após concluir a dura missão, diz a mitologia, ele decidiu comemorar seu feito inaugurando os jogos esportivos em homenagem ao pai, Zeus.

Não à toa, tarefas e trabalhos de extrema dificuldade são até hoje conhecidos como hercúleos, e o evento esportivo atravessou a Era Moderna para se tornar o maior e mais importante momento para atletas do mundo todo.

A cada quatro anos, um seleto grupo tem a chance de representar seu país. Como atleta paralímpico, posso afirmar: não há orgulho maior.

Vivi essa experiência em Seul, em 1988, integrando o time de basquete paralímpico do Brasil. Entre 1981 e 1992, competi em circuitos nacionais e internacionais, viajei para mais de 20 países e posso garantir que nada se compara à experiência de conviver com atletas de altíssimo rendimento, no auge de sua forma física e preparo.

Hoje, como empresário, posso dizer que o treinamento e a preparação de um atleta de alto rendimento me trouxeram muito mais que medalhas, orgulho e realização. O esporte me ensinou algumas lições que listo aqui, e, mais que isso, forjou em mim um espírito empreendedor hoje tão latente em minha personalidade.

1 – Disciplina

Sem disciplina, nada somos no esporte, assim como nada se constrói nos negócios. Construir uma empresa do zero exige muita disciplina, perseverança, discernimento e força de vontade, características que sempre existiram em mim, mas foram acentuadas pela prática do esporte e pelos treinamento intensivo que a preparação para ser um atleta de ponta exige. O sucesso de um empreendimento faz exigências semelhantes.

2 – Saúde

Cuidar do corpo e da mente é fundamental para a prática de qualquer esporte e também para comandar um negócio. É importante estar bem e focado para competir, assim como é fundamental estar bem e ter foco para liderar, ter discernimento, comandar e tomar as decisões certas, que farão com que o negócio caminhe na direção correta para ser bem sucedido. Cuidar de si mesmo é fundamental nesses dois campos.

3 – Resiliência

No esporte e nos negócios, não se pode desistir. É preciso saber onde buscar a força interior que nos faz ir além, que nos faz saber que o esforço valerá a pena, mesmo quando não sabemos de onde virá a força para continuar. Os obstáculos sempre existirão, e estar ciente disso é apenas mais uma etapa do percurso. A vontade de vencer, seja nas quadras ou no mercado de negócios, precisa ser maior. O esporte ensina que perder faz parte e que uma derrota não significa um ponto final, mas sim uma lição a ser aprendida, uma nova chance a ser encontrada, um novo desafio a ser superado. No mundo dos negócios, nenhuma derrota pode nos parar: é preciso parar, refletir, corrigir a rota, acertar, e seguir em frente. Exatamente como nas quadras.

4 – Trabalho em equipe

Ninguém faz nada sozinho, mesmo em esportes individuais. Seja nos esportes, seja em um time de trabalho, é preciso saber se relacionar, tirar o melhor de quem está perto de você. No basquete, a minha praia, cada jogador tem sua função, e todas são essenciais para uma bela cesta no final de uma jogada. O mesmo precisa acontecer no trabalho. Quando cada um está bem escalado, sabe o que precisa fazer e desempenha perfeitamente suas funções,, o resultado do todo é imbatível.

5 – Prática e técnica são insubstituíveis

Assim como no esporte, os negócios não aceitam quem não os leva a sério. É preciso estar sempre em busca do aperfeiçoamento, de novas técnicas, da prática que leva à perfeição. Só assim é possível estar em dia com a qualidade que um atleta de ponta precisa oferecer em quadra – é, em um negócio, do que se precisa oferecer para seus clientes. Do atendimento à produção, da gestão à atenção aos mínimos detalhes, o esporte tem muito a ensinar a todos os empresários e empreendedores.

Esporte é uma prática aliada ao sucesso. A técnica e a repetição, aliadas à disciplina, fazer chegar mais longe. Quem enxerga o negócio como um atleta que vê o sonho de competir em uma olimpíada está no caminho certo. Com esforço, dedicação e consistência, seu negócio só pode prosperar.

*Evandro Tokarski é presidente do Grupo Artesanal, líder no mercado de farmácias de manipulação no Centro-Oeste e em Minas Gerais

 

Siga a Bússola nas redes: Instagram | LinkedInTwitter | Facebook | Youtube