a
Todos os direitos reservados 2022
Cardoso & Advogados Associados
.
CNPJ 24.723.912/0001-50

9:00 - 18:00

Abrimos de Segunda - Sexta.

(21) 3189-6625

Aguardamos pelo seu contato

Search
Menu

Bienal do Livro do Rio de 2022 exigirá comprovante de vacinação

Cardoso Advogados Associados > Covid  > Bienal do Livro do Rio de 2022 exigirá comprovante de vacinação

Bienal do Livro do Rio de 2022 exigirá comprovante de vacinação

A Bienal do Livro do Rio de 2022 vai acontecer entre os dias 3 e 12 de dezembro, segundo anúncio feito pela organização do evento ontem. O formato será híbrido: parte das atividades será realizada no Riocentro, na Barra da Tijuca, e parte será virtual e transmitida por meio de uma plataforma digital, que já foi lançada em janeiro deste ano. Em nota divulgada ontem, a organização ressaltou que pretende cumprir todos os protocolos de segurança contra a Covid-19. “O objetivo é que a Bienal aconteça quando toda a população carioca a partir de 12 anos estiver imunizada, de acordo com o planejamento da Prefeitura do Rio”. No entanto, o comunicado ressalta que “o maior festival de cultura e literatura do país só ocorrerá se houver condições para isso”.

  • O que os empreendedores de sucesso têm em comum? Fique por dentro em nosso curso exclusivo

Famosa pelas filas e aglomerações de leitores, a Bienal receberá, no máximo, metade do público habitual, em dois turnos, das 9h às 15h e das 16h às 22h. Durante o intervalo de uma hora, haverá “higienização completa do ambiente”. A Bienal ocupará uma área total de 100.000m², dos quais 48.000m² são de área externa. Só será permitida a entrada de pessoas com máscara e mediante a apresentação do comprovante de vacinação.

A última edição da Bienal do Livro do Rio, em 2019, foi marcada por tentativas de censura. O então prefeito, Marcelo Crivella, ordenou a que policiais recolhessem exemplares de uma graphic novel que estampava dois rapazes se beijando na capa. Crivella alegou que o livro trazia “conteúdo sexual para menores”. O público da Bienal respondeu à ofensiva do prefeito com protestos.