a
Todos os direitos reservados 2022
Cardoso & Advogados Associados
.
CNPJ 24.723.912/0001-50

9:00 - 18:00

Abrimos de Segunda - Sexta.

(21) 3189-6625

Aguardamos pelo seu contato

Search
Menu

Como fazer vídeos virais: a fórumula mágica para os milhões de views

Cardoso Advogados Associados > Covid  > Como fazer vídeos virais: a fórumula mágica para os milhões de views

Como fazer vídeos virais: a fórumula mágica para os milhões de views

Preste atenção a qualquer vídeo viral em seu feed nas redes sociais e você verá um padrão — quase sempre constante. Mas quem afirmou isso? Nos últimos 10 anos, Brendan Kane tem criado vídeos virais para algumas das maiores marcas e celebridades do mundo: IKEA, MTV, Taylor Swift, Rihanna e muito mais. E para criar conteúdos de forma consistente e que gere milhões (ou mesmo dezenas e centenas de milhões) de visualizações, ele deve seguir um processo que funcione. E esse processo é: Capturar. Contar. Sair.

  • O que os empreendedores de sucesso têm em comum? Inovação será a chave de 2021.

Todos eles seguem a mesma fórmula básica:

  • Capturar atenção: “Uau, isso é diferente! Você tem minha atenção.”
  • Contar uma história: “Leve-me em uma jornada. Como chegamos aqui?”
  • Conclusão: “Isso é loucura. Eu não sabia de nada disso até assistir a este vídeo!”

Mas isso é mais fácil falar do que fazer. Então, Brendan vai te ajudar a criar um conteúdo com potencial viral.

“Sem dúvida, a parte mais importante do processo é criar seu gancho – ou, mais especificamente, seu ‘ponto de gancho’. Em resumo, seu Hook Point é “a coisa” que chama a atenção de alguém. Alguns exemplos são:

  • Uma estatística maluca, não convencional e pouco conhecida;
  • Um momento inesperado de grande sucesso ou derrota;
  • Refutar uma crença comum;
  • Um frame memorável, modelo mental ou maneira de resolver um problema.

“Resumindo, seu Hook Point é “a única coisa” que seu público achará mais interessante e memorável, colocado logo no início. E quando você souber como é um Hook Point, você começará a vê-los em todos os lugares”, afirma Brendan.

Brendan usa como exemplo o polêmico documentário da Netflix que acabou de ser lançado, chamado Seaspiracy. Ele pontua alguns dos “pontos de gancho” do filme:

  • Mais de 300.000 baleias e golfinhos são mortos a cada ano como captura acidental. 30.000 tubarões são mortos a cada hora.
  • Mais de 250.000 tartarugas marinhas são feridas ou mortas (somente nos EUA) por ano. Tudo proveniente do negócio global de frutos do mar.
  • 46% do plástico na Grande Mancha de Lixo do Pacífico é composto de equipamentos e artigos de pesca.

Estes são os fatos interessantes e percepções únicas que chamam a atenção de quem está assistindo.

A segunda coisa que você quer fazer é contar uma história rápida que retome o assunto do Hook Point que você acabou de apresentar.

Aqui estão alguns exemplos:

  • Hook Point (este é basicamente o fim da história, dito logo no início)
  • Começando (onde tudo isso começou?)
  • Conflito (para onde isso vai? Por que isso importa tanto?)
  • Ação ascendente (como superamos este conflito?)
  • Clímax (Superando o obstáculo)
  • Ação descendente (aqui está o que aconteceu como resultado)
  • Conclusão (e agora?)

Um vídeo viral do TikTok encontrará uma maneira de inserir todo esse enredo em 30, 15 ou às vezes até 5 segundos.

Finalmente, depois de contar sua história, é sempre bom deixar o espectador com algum tipo de lição. “Se o seu Hook Point foi uma estatística interessante, sua lição deveria ser educar o espectador sobre o que eles podem fazer agora que sabem a verdade”, afirma Brendan. “Se o seu Hook Point foi uma pegadinha, sua lição deveria ser: ‘Quer ver mais pegadinhas como esta?’.”

“Você sempre deve direcionar a atenção do seu público para o próximo passo – seja inspirando-os a realizar algum tipo de ação (“Você pode assistir ao documentário completo aqui.”) Ou apenas encorajando-os a conferir outro conteúdo relacionado”, conclui.

Não perca as últimas tendências do mercado de tecnologia. Assine a EXAME.