a
Todos os direitos reservados 2022
Cardoso & Advogados Associados
.
CNPJ 24.723.912/0001-50

9:00 - 18:00

Abrimos de Segunda - Sexta.

(21) 3189-6625

Aguardamos pelo seu contato

Search
Menu

Drake participa de rodada de US$ 40 milhões em startup de frango "fake"

Cardoso Advogados Associados > Covid  > Drake participa de rodada de US$ 40 milhões em startup de frango "fake"

Drake participa de rodada de US$ 40 milhões em startup de frango "fake"

O aquecido mercado de carne vegetal acaba de ganhar um novo entrante: o cantor Drake participou recentemente de uma rodada de captação no valor de 40 milhões de dólares para a startup norte-americana Daring Foods, que produz frango à base de plantas.

Quer acompanhar as principais notícias do mercado com análises de qualidade? Assine a newsletter de EXAME Research.

O valor investido pelo rapper não foi divulgado, mas, segundo o portal de notícias Bloomberg, Drake se uniu a investidores dos fundos de venture capital D1 Capital Partners, Maveron e ao fundo de corporate venture Palm Tree Crew nesta rodada série B — a primeira desde que a startup lançou seu produto, no ano passado. Em uma rodada anterior, a Daring Foods já havia captado cerca de 8 milhões de dólares.

“A primeira onda de produtos à base de plantas estava realmente focada no sabor e na textura, mas depois houve o sacrifício de outros elementos, como a saúde”, disse Ross Mackay, cofundador e CEO da Daring Foods, em comunicado à imprensa.

De acordo com a Daring Foods, o novo capital fará com que a empresa triplique sua distribuição no varejo em mais de 4.500 lojas nos Estados Unidos. Atualmente, a marca já comercializa seus produtos nas redes Kroger e a Costco.

Drake, que se declara vegetariano, passou a fazer parte de uma lista de celebridades que apoiam o consumo de carne vegetal e uma indústria alimentar mais “verde”. A lista inclui nomes como Serena Williams, Jay-Z e Robert Downey Jr. O ator, por sua vez, já lançou também um fundo de investimentos com foco em startups verdes.

Mercado em alta

O apetite pelo mercado de carnes vegetais se dá pelas projeções positivas para o futuro. De acordo com a empresa de pesquisas de mercado Euromonitor, somente no Brasil, o setor de proteína vegetal faturou quase 70% a mais em 2020 quando comparado ao ano de 2015.
Mundialmente a tendência se repete. A líder do setor de carne fake, a Beyond Meat, fechou 2020 com uma receita de 101,9 milhões de dólares e já expressou a vontade de lançar, ainda neste ano, uma alternativa vegetal ao frango.

Quais são as tendências entre as maiores empresas do Brasil e do mundo? Assine a EXAME e saiba mais.