a
Todos os direitos reservados 2022
Cardoso & Advogados Associados
.
CNPJ 24.723.912/0001-50

9:00 - 18:00

Abrimos de Segunda - Sexta.

(21) 3189-6625

Aguardamos pelo seu contato

Search
Menu

LIVE: Superapps e live commerce atendem a público cada vez mais consciente

Cardoso Advogados Associados > Covid  > LIVE: Superapps e live commerce atendem a público cada vez mais consciente

LIVE: Superapps e live commerce atendem a público cada vez mais consciente

Por Bússola

Desde que a pandemia da covid-19 chegou ao Brasil, o e-commerce se tornou o principal meio de compra. De acordo com um levantamento da Ebit/Nielsen, que traz dados para o mercado on-line, o varejo digital cresceu 41% em 2020 no país. Além disso, segundo o estudo, 55,1% da compra e venda foi realizada por aparelhos celulares, e 95% dos que adquiriram algo pela internet pretendem manter o hábito, ainda que as restrições para conter o avanço do vírus sejam flexibilizadas e a rotina volte ao normal.

Diante dessa realidade, os superaplicativos e o live commerce nascem para atender a um público cada vez mais ativo, consciente e interessado na comodidade de poder resolver grande parte da vida em uma mesma plataforma.

Para Sérgio Saraiva, CEO do Rappi Brasil, uma das mais conhecidas plataformas de entrega sob demanda e que sai na frente na corrida dos superapps por aqui, uma vez que passou a oferecer uma enxurrada de novas ferramentas, como o Rappi Pay, o Rappi Travel, o Rappi Bank e o Rappi Turbo, o segredo para fidelizar usuários é um só: ter uma escuta ativa e ser obcecado pela satisfação do cliente.

“A gente tem apostado no conceito de superaplicativos desde 2015. Como temos operação em oito países mais o Brasil, estamos sempre buscando entender o que os consumidores querem. No primeiro semestre de 2020, tínhamos o foco de lançar novos produtos. Já nos últimos seis meses do ano, a intenção foi melhorar o nível do nosso serviço. Além de ser importante trazer algo diferente e inovador, ter um canal de distribuição eficiente e colocar o cliente no centro do negócio, usar inteligência artificial com dados baseados no comportamento individual das pessoas faz toda diferença para que possamos entender o cliente e surpreende-lo”, diz.

O Grupo Carrefour, maior varejista alimentar do Brasil, precisou se adaptar às limitações impostas pela pandemia para continuar próximo de seu cliente e passou a integrar diferentes serviços e funcionalidades em um mesmo ecossistema, oferecendo muito mais do que apenas as compras de mercado on-line.

A ideia, de acordo com Paulo Farroco, CIO do Carrefour Brasil, é se aproximar cada vez mais do conceito de superapp. Durante a Live “Superapps, live commerce e tendências do comércio on-line”, promovida pela Bússola,  plataforma de conteúdo estratégico sobre economia, negócios, política e sociedade da Exame e do Grupo FSB, ele faz um adendo importante: o consumidor digital de hoje e omnichannel, e o varejo precisa acompanhar as mudanças do setor.

“O perfil desse consumidor que já não é o mesmo de antes da pandemia. Além de aderir cada vez mais ao e-commerce e explorar todas as funcionalidades dos canais digitais, ele está mais exigente, quer mais do que apenas comprar um produto. Está em busca também de propósito e experiência.”

“Para se ter uma ideia, 75% dos clientes que usam o nosso aplicativo também frequentam as lojas físicas e 20% do que compram em nosso e-commerce, preferem retirar a compra em nosso drive-thru. É preciso entender os clientes, oferecer atendimentos e produtos personalizados, criar funcionalidades e novos produtos com propósitos. Se no começo o cliente usava o e-commerce para se proteger da exposição ao vírus, agora ele busca uma jornada única, omnichannel, com identidade própria, ofertas exclusivas”, afirma.

Para Gabriel Reginatto, cofundador da Alive, a próxima grande evolução do e-commerce é o live commerce, que permite uma experiência de compra on-line que mistura interação e entretenimento, para que consumidores interajam ao vivo com influenciadores e vendedores e possam comprar produtos diretamente durante as transmissões.

Segundo ele, hoje em dia o consumidor tem uma postura cada vez mais ativa e consciente e, ao promoverem interação direta entre a marca e o cliente e gerar conteúdo e entretenimento, as transmissões podem se tornar um diferencial para atrair cada vez mais os consumidores.

“Antigamente, quem queria descobrir algo para comprar passeava nos shoppings e entrava nas lojas sem um objetivo específico. Agora, essa curadoria passou para o digital e para o e-commerce. Agora, enxergamos o live commerce como uma forma de ajudar o consumidor a tomar decisões, uma vez que há a interação de especialistas falando ao vivo sobre as especificidades dos produtos. Tem muita coisa interessante nesse novo formato de vendas e com certeza será um diferencial daqui para frente. Os e-commerces precisam oferecer criação de conteúdo e gestão de comunidade para uma experiência diferenciada”, diz.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube