a
Todos os direitos reservados 2022
Cardoso & Advogados Associados
.
CNPJ 24.723.912/0001-50

9:00 - 18:00

Abrimos de Segunda - Sexta.

(21) 3189-6625

Aguardamos pelo seu contato

Search
Menu

União Europeia restringe exportação de vacinas até o fim de março

Cardoso Advogados Associados > Covid  > União Europeia restringe exportação de vacinas até o fim de março

União Europeia restringe exportação de vacinas até o fim de março


Bloco recebeu uma quantidade menor de doses das vacinas da AstraZeneca, Pfizer-BioNTech e da Moderna. Empresa farmacêutica que quiser exportar precisará pedir autorização. Mapa da Europa com ampolas da vacina contra Covid-19 e seringa
Dado Ruvic/Reuters
A União Europeia vai restringir a exportação das vacinas contra a Covid-19 a outros países, anunciou a Comissão Europeia nesta sexta-feira (29). A ideia é que as vendas não ocorram antes que o bloco garanta o estoque suficiente para o próprio bloco. Nem mesmo o Reino Unido deverá poder comprar vacinas da União Europeia, pelo plano.
Mundo pesquisa 236 vacinas e já testa 16 em humanos, mas poucas têm chance de chegar ao Brasil, avaliam especialistas
Pandemia avança e União Europeia sobe o tom contra os fabricantes de vacina
O comissário de comércio da União Europeia, Valdis Dombrovskis, afirmou em uma entrevista coletiva que esse controle de exportações acontecerá até o fim de março. A restrição às exportações é para as vacinas que já haviam sido compradas.
É como se fosse uma política de seguro, disse a comissária de saúde, Stella Kyriakides.
A comissão afirmou que não se trata de uma proibição definitiva.
Haverá exceções: as doações à Covax, um projeto para garantir doses aos países pobres, estão liberadas.
Alguns países vizinhos também poderão receber vacinas da União Europeia, como a Noruega e a Suíça, que não fazem parte do bloco (o Reino Unido não é uma exceção da proibição).
Para poder vender para nações que não são do bloco, as empresas farmacêuticas precisarão pedir uma autorização do país onde ela fabrica as doses. O governo desse país, então, deverá consultar a Comissão.
A Pfizer, por exemplo, tem uma grande fábrica na Bélgica. Os belgas já notificaram a comissão que há um plano para vender para o Reino Unido e Canadá.
A medida deve entrar em vigor no sábado. Há críticas à decisão, semelhantes às críticas feitas quando houve protecionismo de vendas de máscaras, no começo da pandemia.
A Câmara Internacional de Comércio afirma que a medida vai disparar uma série de medidas de retaliação de outros países, o que pode travar as redes de produção de vacinas.
A União Europeia já entrou em conflito com a AstraZeneca, uma empresa de capital sueco e inglês, que não entregou as doses que havia prometido.
Países do bloco também receberam menos doses das vacinas da Pfizer-BioNTech e da Moderna.
Veja os vídeos mais assistidos do G1

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.