a
Todos os direitos reservados 2022
Cardoso & Advogados Associados
.
CNPJ 24.723.912/0001-50

9:00 - 18:00

Abrimos de Segunda - Sexta.

(21) 3189-6625

Aguardamos pelo seu contato

Search
Menu

Vacina da Pfizer conseguiu neutralizar três variantes do coronavírus em laboratório, aponta estudo

Cardoso Advogados Associados > Covid  > Vacina da Pfizer conseguiu neutralizar três variantes do coronavírus em laboratório, aponta estudo

Vacina da Pfizer conseguiu neutralizar três variantes do coronavírus em laboratório, aponta estudo


Variantes testadas aparecem na África do Sul e no Reino Unido e têm mutações que ocorrem em uma variante brasileira. Frasco com dose da vacina da Pfizer é mostrado na Alemanha
AP Photo
A vacina desenvolvida pelas empresas Pfizer e BioNTech contra a Covid-19 conseguiu neutralizar, em laboratório, três variantes do coronavírus, aponta um estudo publicado na revista científica “Nature Medicine” nesta segunda-feira (8).
As variantes testadas aparecem na África do Sul e no Reino Unido e têm mutações que ocorrem em uma variante brasileira.
Os dados já haviam sido divulgados de forma preliminar no início de janeiro, mas só agora foram revisados e validados por outros cientistas. A “Nature Medicine” faz parte do grupo de publicações “Nature”, um dos mais importantes do mundo.
Artistas idosos comemoram vacinação contra a Covid-19
Veja os principais pontos do estudo:
Os cientistas, da Pfizer e do setor médico da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, testaram o soro de 20 participantes dos ensaios clínicos da vacina. Eles já haviam recebido as duas doses da vacina e já tinham criado anticorpos contra o coronavírus.
Depois, os pesquisadores testaram esses soros contra as variantes do vírus.
As três variantes neutralizadas tinham a mutação N501Y, que foi associada a uma maior capacidade de transmissão do coronavírus.
Uma das variantes neutralizadas, que aparece apenas na África do Sul, teve, além da N501Y, a mutação E484K, associada a um possível enfraquecimento da ação dos anticorpos humanos contra o vírus. Tanto a N501Y quanto a E484K aparecem em uma variante identificada no Brasil – primeiro no Amazonas e, depois, em outros estados.
O poder de neutralização dos anticorpos contra a variante sul-africana que tinha a mutação E484K foi ligeiramente menor do que em relação às outras variantes.
Por causa disso, os autores concluíram que é necessário monitorar de forma contínua a eficácia das vacinas contra a Covid contra novas variantes do coronavírus.
No fim de janeiro, a Pfizer e a BioNTech já haviam anunciado que criariam uma dose de reforço de sua vacina contra novas variantes do coronavírus.
Na última quinta-feira (4), o Reino Unido lançou um estudo para avaliar as respostas imunológicas geradas se as vacinas da Pfizer e de Oxford forem combinadas em um esquema de duas doses. Os dados iniciais devem sair em junho.
Veja VÍDEOS sobre a vacinação no Brasil:

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.